Você está aqui: Capa / Todo Conceito / Maranhão é bronze no goalball feminino das Paralimpíadas Escolares 2017

Maranhão é bronze no goalball feminino das Paralimpíadas Escolares 2017

25 de novembro

As meninas do goalball do Maranhão conquistaram a medalha de bronze no segundo dia das Paralimpíadas Escolares 2017. Elas mostraram muita sincronia nas defesas das bolas fortes da equipe de Santa Catarina  e venceram por 11 a 9 a decisão que garantiu o pódio no Centro Paralímpico Brasileiro, em São Paulo-SP.

“Essa medalha de bronze significa muito para mim e para todos do Maranhão, pois conseguimos com muito esforço. Sou deficiente visual e estou aqui para mostrar que cego pode fazer qualquer coisa que quiser, basta ter fé e acreditar. Estou com essa medalha mostrando isso para todos! Conseguimos ganhar a medalha que, para mim, não é bronze é ouro”, disse atleta Zilene Pereira, de 15 anos de idade.

Premiação

A premiação da modalidade aconteceu na sexta-feira (24) – último dia das Escolares- com medalhas entregues pela Seleção Brasileira de Goalball Feminino. O primeiro lugar ficou com a equipe de São Paulo; e Minas Gerais em segundo lugar.A delegação maranhense tem apoio do Governo do Estado do Maranhão, por meio da Secretaria de Estado do Esporte e Lazer (Sedel), nas Paralimpíadas Escolares: evento de realização do Comitê Paralímpico Brasileiro (CPB) e do Ministério do Esporte (ME).

A modalidade

A modalidade passou a ser praticada no Brasil em 1985. Ao contrário de outras modalidades paraolímpicas, o goalball foi desenvolvido exclusivamente para pessoas com deficiência – neste caso a visual. A quadra tem as mesmas dimensões da de vôlei (9m de largura por 18m de comprimento). As partidas duram 20 minutos, com dois tempos de 10. Cada equipe conta com três jogadores titulares e três reservas. De cada lado da quadra há um gol com nove metros de largura e 1,2 de altura.

Os atletas são, ao mesmo tempo, arremessadores e defensores. O arremesso deve ser rasteiro e o objetivo é balançar a rede adversária. A bola possui um guizo em seu interior que emite sons – existem furos que permitem a passagem do som – para que os jogadores saibam sua direção.

O goalball é um esporte baseado nas percepções tátil e auditiva, por isso não pode haver barulho no ginásio durante a partida, exceto no momento entre o gol e o reinício do jogo. A bola é mais ou menos do tamanho da de basquete. Hoje o goalball é praticado em 112 países nos cinco continentes. No Brasil, a modalidade é administrada pela Confederação Brasileira de Desportos para Cegos.

Sobre admin

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Scroll To Top